Coroa Greluda Batendo Punheta no Marido

Coroa Greluda Batendo Punheta no Marido

Coroa Greluda Batendo Punheta no Marido

Eu estava ali, deitada na cama com a perna toda aberta sendo chupada por aquele coroa desconhecido, cada vez mais me dava um tesão gostoso… Gozei na boca dele e ele sentiu meu melzinho. Estávamos conversando sobre isso em um dia em que eu não fui trabalhar e ela estava lá em casa fazendo faxina, estávamos na cozinha, e ela estava com seu shortinho que faz com que ela fique com um capuz de fusca e permite ver sua calcinha enfiada em sua bunda, e enquanto ela me falava que já estava há 3 meses sem poder transar me contou que estava tendo muito problema financeiro, pois tudo estava muito caro, e as pessoas estavam começando a parar de contratá-la para reduzir gastos, eu estava só de bermudinha em casa, havia acabado de tomar um banho e ela virou pra mim e disse, meio que em tom de brincadeira, acho que vou começar a fazer programa escondida, pois assim acabo matando meu tesão e resolvendo meu problema de dinheiro, ela disse isso e riu, mas na hora isso me deixou excitado, de tal forma que meu pau fez um volume sob a bermuda, como estava ao lado dela eu coloquei a mão em seu ombro e perguntei se ela tava pensando realmente sério nisso, ela colocou a mão em minha cintura e disse que tinha hora que tinha vontade mesmo, mas o problema é que teria que dar pra um monte de gente feia, que os caras que iam querer ela não iam ser novinhos e bonitos iguais a mim, quando ela disse isso eu segurei a mão dela tomei coragem e falei, -você que pensa, olha como que eu fiquei só de ouvir você falando isso! Então coloquei a mão dela sobre meu pau, por cima da bermuda, ela olhou pra mim com cara de assustada e de safada e disse, -nossa Rodrigo, você teria mesmo coragem, mesmo com uma mulher bonita igual a sua? Mas enquanto ela falava deixou a mão em meu pau, eu então tirei ele pra fora da bermuda e coloquei sua mão nele e falei que se ela quisesse, eu comeria ela agora, ela começou a me masturbar em pé, encostado no balcão da cozinha, e disse que não sabia se devia fazer isso, que tinha medo e coisas assim, mas sem parar de alisar meu pau, da cabeça até o saco, eu virei ela de costas e encostei meu pau em sua bunda e comecei a me esfregar em sua bundinha, enquanto ela continuava a me punhetar devagarinho, com minha outra mão comecei a acariciar sua boceta por cima da bermuda, ela afastou a bermuda pra que eu enfiasse a mão em sua boceta, e quanto pus meus dedos em sua boceta senti todo aquele melado, ela estava louca de vontade de dar, então pus ela sentada na cadeira da mesa e comecei a esfregar meu pau em sua cara, passando em seus lábios, ela ficou sentindo o cheiro de meu pau e então começou a abocanhá-lo, segurando em meu saco e empurando meu corpo de encontro a sua boca, sugou com vontade por alguns minutos, até que não mais agüentei e levei ela pro sová, arranquei apenas seu shorte e sua calcinha e empinei bem aquela bundinha pra mim, acariciei um pouco mais aquela linda bocetinha e enfiei meu pau nela com vontade, meu pau deslizou com facilidade, e ela estava tão lubrificada que tive dificuldades pra gozar, eu ia metendo em sua boceta e batendo em sua bunda, e ela gemia e dizia:-isso, mete na mamãe, come a mamãe come seu gostoso!, Enquanto ela gemia ela rebolava aquela bunda gostosa e depois de uns 15 minutos de um vai e vem frenético acabei gozando em sua bundinha….

Ele já estava cochilando mas ainda brigava contra o sono, sentei no sofá com o prato de miojo ofereci a ele que não aceitou, bem como estava sentada comendo levantei um pouco mais o vestido para aparecer mais minha coxa ,estava iniciando meu plano de provoca-lo percebia que ele olhava de rabo de olho e isso me deixou ainda mais com vontade de provocar e ver até onde isso tudo iria chegar, terminei fui até a cozinha e voltei ele já estava deitado no sofá menor e eu deitei no outro, passou algum tempo e fingi que estava dormindo e mexia pra lá e para cá afim de deixar o vestido subir e fiquei mais à vontade mais “aberta “ rsrsrs sei q ele olhava porque ouvia o barulho do sofá ele estava impaciente louco para me atacar imagino eu, fingi que estava acordando só para ver em que estado ele estava e fiquei chocada, excitada e com agua na boca, o pau dele estava para fora da bermuda na hora senti minha bucetinha piscar e ficar toda molhadinha, queria pular e chupar aquele pau que parecia suculento, mas queria uma atitude dele, virei para o lado e continuei fingindo estar dormindo, deixai uma perna apoiada no chão e a outra no sofá, estava de barriga para cima para provocar mais, a essa altura minha camisola já estava próximo ao umbigo de tanto que me mexi, ouvi quando ele começou a me homenagear batendo uma punheta e minha buceta piscava mais e mais, fingi mais uma vez estar acordando para dar tempo de ele se recompor, sentei novamente no sofá fingindo estar meio desnorteada entorpecida de sono, vi apenas o volume em sua calça e então ele disse – Tirou um belo cochilo em cunhadinha.

– Imagina se eu vou deixar um amigo do meu marido ir para um hotel! Kaplan me enforcaria se eu permitisse tal coisa.