Dando Carona Para Um Desconhecido E Deixando Ele Passar A Mão Na Esposa Gostosa

Dando Carona Para Um Desconhecido E Deixando Ele Passar A Mão Na Esposa Gostosa

Dando Carona Para Um Desconhecido E Deixando Ele Passar A Mão Na Esposa Gostosa

Ela olhou para ele com ar de reprovação, mas ele não se deu por vencido e a puxou pelo braço e a beijou, sem demora ela retribuiu, e abraçou o Júlio, as mãos dele passearam sobre o vestido dela arrancando um suspiro quando chegou na sua bunda, e que bunda, ele soltou as alças de seu vestido deixando ela somente de calcinha e salto alto.

Chegando no final do corredor vi uma cortina e por traz dela um sofá redondo onde tinha dois casais se pegando loucamente e claro parei pra assistir, meu tesão só aumentava mas fiquei apenas apreciando até que sinto uma mão subindo minha saia, olho para traz e vejo um homem lindo loiro de olhos claros mas mesmo assim resolvi continuar andando, afinal fui apenas para conhecer.

Marcos a dava carona e subia, indo diretamente para a cama.

( Homens: camiseta, shorts, meia e cueca ; Mulheres: camiseta, shorts, sutiã e calcinha )minha vagina, porque eu não aguentaria mais levar no cú, ele nem sequerde um lado, eu estava toda mole, então eles foram me descendo no pau daqueleMinha esposa ficou louca de tesão e me pediu para meter o dedo em sua buceta e constatei que a bichinha estava mais úmida que uma lagoa, fiquei doido de vontade de comer aquela buceta, mas ela não deixou e apagou meu fogo com uma punheta, por sinal deliciosa, onde ela bebeu toda a porra que derramei.

70 de altura sou negro um pouco malhado pois fiz academia por um tempo tenho 19 anos a minha historia se passa quando eu fui passar o sao joao na casa de minha tia em feira de santana no interior da Bahia o marido de minha tia é dono de um bar la e eu ficava mais tempo la com ele enquanto ele servia o pessoal eu tomava uma também era domingo e o movimento la era so pela manha pois era na zona rural de feira entao ele fechava mais cedo aos domingos mas nesse dia ele mandou eu lavar o bar que depois ele me pagava ai eu topei ele disse que iria mandar alguém pra me ajudar e saiu.

E em seguida, eu tinha a tarefa menos empolgante de passar o cartão ao meu primo, que recebia demonstrando aínda menos interesse que eu. O magrinho puxava o cabelo da gostosa enquanto o outro metia nela de quatro e batia em sua bunda, e eu estava ali batendo a minha punheta sentindo muito tesão ao ver aquilo. Não apenas uma outra pessoa, mas acima de tudo uma amiga de ambos, o que mesclava sensualidade com intimidade, desejo com ciúmes, um tesão novo, desconhecido.